Assassin’s Creed: uma carta à Fox

Prezada Fox, 

Gostaria que soubesse que tenho uma enorme apreço por você. Temos uma longa relação e, enquanto admito que ela sempre foi salpicada com altos e baixos, tenho consciência dos prazeres que me proporcionou no passado. Foram seus executivos que deram uma chance para o jovem George Lucas e seu maluco Star Wars. Vocês permitiram que James Cameron arriscasse tudo duas vezes e produzisse duas incríveis obras cinematográficas. Vocês criaram os filmes modernos de super-heróis com X-Men e tudo que isso implica. Vocês deram asas ao Alejandro Iñarritú para que ele criasse duas obras primas. A lista é infindável. 

Mas precisamos conversar. Algo mudou e não é bom. Somente em 2016, você permitiu que X-Men: Apocalipse, A Era do Gelo 5 e A Espiã saíssem como saíram. Você colocou coisas como A Cura e O Poderoso Chefinho (admitidamente da Dreamworks) tivessem aprovação para produção. Antes disso, vocês insistiram em Percy Jackson e Maze Runner. 

E, finalmente, vocês lançaram Assassin’s Creed. E, caso vocês não tenham assistido o próprio filme que produziram, contarei alguns detalhes da trama. 

Eu entendo: a ideia era ser fiel ao jogo para trazer a audiência cativa para dentro dos cinemas. Mas o que diabos foi aquilo? O enredo é quase incompreensível! A inserção dos problemas familiares do protagonista e da antagonista não agrega nada à já não tão excelente trama original do game. São tantos buracos que chega a ser constrangedor: por que temos outros assassinos no complexo se eles já sabiam que a família de Cal tinha a chave? Como que ninguém percebeu a localização da tal Maçã? Por que exatamente o pai da Marion Cotillard queria fazer tudo aquilo? Por que os assassinos do passado eram tão incompetentes? Aquele lance do sequestro do menino para trocar pelo tesouro — sério? Em 1500? Aquele monarca teria trinta filhos e deixaria o que foi sequestrado morrer. Como que o protagonista pode ser descendente do Aguillar se ele, ao que tudo indica, nunca teve filhos ou família? E, pelo amor de tudo que é sagrado, Cristovão Colombo? Como que alguém leu isso e achou uma boa ideia?

E que desperdício de talento. Michael Fassbender, Marion Cotillard e Jeremy Irons… Todos jogados no lixo. Não há talento que possa salvar uma ideia tão ruim. Exceto por uma ou duas cenas de ação (muito) bem coreagrafas (ainda que, inexplicavelmente, a Espanha do passado estivesse sempre envolta numa cortina de fumaça laranja), nada se salva nesse filme.

Querida Fox — de novo, o que houve? Quando que deixamos de lado todo e qualquer bom senso cinematográfico? Resident Evil é mais bem adaptado que isso. Você é melhor que isso e pode fazer melhor do que isso.

Atenciosamente,

Sr. Chato

Ficha

Título: Assassin’s Creed

Nota do Sr Chato: 4/10

Potencial Comercial: 7/10

Dados Técnicos: EUA / 2016 / 115 minutos / Fox

Gênero: Ação, aventura, fantasia

Direção: Justin Kurzel

Roteiro: Michael Lesslie

Estrelas: Michael Fassbender, Marion Cotillard, Jeremy Idons

Comparáveis: Resident Evil

Por que assistir: Pela ação e as coreografias. Ou se você for um fã assíduo dos jogos.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s